domingo, 1 de setembro de 2019

De regresso ao Vale de Santarém

Vale de Santarém, 1.Set.2019, 9h05
À semelhança de Novembro do ano passado, em que a irmã que o Universo trouxe à minha Vida decidiu organizar uma primeira caminhada de solidariedade, com o objectivo de angariar alimentos para famílias carenciadas que a Cáritas Paroquial do Vale de Santarém segue, antes das nove da manhã do primeiro dia de Setembro reuniu-se um razoável grupo de participantes junto à Sociedade Recreativa Operária do Vale de Santarém, para um percurso simples, pelos campos em volta daquela vila, próxima da capital ribatejana e do Tejo.
Após um pequeno briefing, pouco depois das 9 horas estávamos a iniciar aquela que foi também uma bela jornada de convívio. O percurso começou por se desenvolver para nordeste, por vezes com a cidade de Santarém ao fundo e com uma primeira paragem no miradouro natural sobre a Quinta dos Covões ... onde foi feita a foto de grupo.

Ao longo dos pinhais adjacentes à Quinta da Fonte Boa, chegamos ao "miradouro" sobre a Quinta dos Covões
O rumo foi depois para a ribeira e vala da Asseca. Com o calor já a apertar, debaixo do viaduto da EN3 estava ... um autêntico "mar" de ovelhas à sombra. Passada a ponte, entrámos nos vastos campos agrícolas da margem direita do Tejo. Não estávamos longe do Caminho de Santiago...

Calor a quanto obrigas...
Ponte d'Asseca e os extensos campos de tomate da margem direita do Tejo
No passado dia 10 de Fevereiro, com a Paula e o Jorge, tínhamos passado do lado de lá destes campos agrícolas, a menos de 1,5 km, entre a Valada e Santarém ... no Caminho do Tejo. Hoje, inflectimos para oeste, iniciando o regresso ao Vale de Santarém pela Quinta de Santo António, infelizmente votada ao abandono.

A Ribeira d'Asseca e a Quinta de Santo António, um património infelizmente abandonado
Ainda não era meio dia, tínhamos 10 km percorridos e estávamos de regresso ao ponto de partida. As comparticipações para a Cáritas Paroquial do Vale de Santarém tinham sido entregues à chegada, melhorando certamente um pouco as necessidades de algumas famílias carenciadas. Caminhar por uma causa, tinha sido o lema desta iniciativa. Depois, dez dos mais de vinte participantes fomos almoçar e conviver, para finalizar uma bela actividade ... em vésperas de novas "aventuras"... 😊
Ver o álbum completo

domingo, 18 de agosto de 2019

De Santarém ao Alviela e aos trilhos de Malhou ... num fim de semana muito especial

"Que o vento leve como uma suave brisa Amor ao teu Coração e Alma. Que se afaste de ti o que não te eleva o Espírito. Que o teu mais valioso presente seja a tua Vida."
(Rosiana Ni Carvalho, "Alma Celta")
3 Peregrinos no Caminho de Fátima, 17.08.2019 (Foto: Luís Martins)
"Que o teu mais valioso presente seja a tua Vida" é uma verdade incontestável. A Vida é uma dádiva ... e como tal deve ser celebrada. Para celebrar mais um ano, a minha mana Paula - a Irmã do Coração que o Universo trouxe ao meu Caminho - sonhou passar o fim de semana do seu 45º aniversário ... a caminhar. E convidou amigos muito chegados para a acompanharem. O Sonho passava por sair da porta de casa, em Santarém, pelo já tantas vezes trilhado Caminho de Fátima.
No "Cantinho dos Peregrinos", com o Sr. Francisco Torre
A noite seria no também já nosso velho conhecido albergue do Centro Ciência Viva do Alviela e, embora inicialmente pensasse terminar em Fátima, a Paula optou contudo por deixar o percurso de domingo ao critério do Jorge, o Amigo que o destino trouxe também ao nosso encontro há pouco mais de um ano. E por fim juntou-se o Luís ... outro nosso bom Amigo e Santiagueiro.
Bem ... e se no final da caminhada, em dia de aniversário, fôssemos brindar? E se nesse brinde, de surpresa ... aparecessem umas 30 pessoas, entre familiares e amigos? Esse foi o plano que desde cedo começou a fermentar no meu cérebro. Hoje, passado o evento ... posso dizer que preparar essa surpresa, contactar inclusivamente com pessoas que, nalguns casos, não conhecia pessoalmente, tudo às escondidas da minha muito querida Irmã do Coração ... foi uma fraga complicada, inspiradora de um misto de paixões e receios ... mas foi das fragas mais gratificantes que já vivi! O vento levou seguramente, como uma suave brisa, Amor ao Coração e Alma de todos os que participaram nesta "aventura"!
Nos Olhos de Água do Alviela, numa tarde quente de um
sábado de verão ... já se comemorava a Amizade e a Vida
O percurso da primeira etapa foi o que já nos era familiar a qualquer dos quatro. Ainda não eram 9h30 estávamos no "Cantinho dos Peregrinos". O Sr. Francisco, que já podemos considerar velho amigo, era um dos convidados para a surpresa do dia seguinte ... mas guardou galhardamente o nosso segredo. Ter conseguido contactar directamente com ele, mais de uma semana antes, tinha sido um dos meus "momentos de glória" ... e de muito orgulho. A Vida é feita, decididamente, de pequenos grandes nadas! À meia noite, na camarata do Ciência Viva, cantámos os parabéns à Paula, com 4 bolitos comprados também às escondidas ... e não só. "Não é fácil surpreenderem-me, mas vocês conseguiram-me surpreender ", dizia convicta; mal sabia o que a esperava no fim da caminhada... 😊

Nas "minhas" velhas grutas do Amiais, nascentes do Alviela, 18.08.2019, 8h00 ... 4 vultos unidos na aventura da Amizade
O domingo começou por uma incursão nos "olhos de água", as grutas da ribeira dos Amiais que constituem as nascentes do Alviela ... onde tantas e tantas vezes acampei nos meus longínquos "anos loucos" ... quando dois dos quatro agora presentes ainda não tinham nascido. Depois, o Jorge tinha delineado um percurso descendo o Alviela, ao encontro do PR4, a Rota dos Ferreiros, na freguesia de Malhou. E com que recantos paradisíacos este percurso nos deliciou!

Recantos do Alviela, entre os Olhos de Água e Raposeira (1ª e 3ª fotos: Luís Martins)
Enquanto o Alviela segue o seu curso para o Tejo, nós inflectimos para sudoeste, rumo à Rota dos Ferreiros e à aldeia de Chã de Cima, repetindo aliás em sentido contrário um pequeno troço percorrido na véspera. O percurso deve o nome à arte de trabalhar o ferro, actividade que esteve na origem do nome da localidade de Malhou, onde iríamos terminar a caminhada. Como é normal nestes dias, a Paula passou grande parte do tempo a receber telefonemas de parabéns ... muito longe de saber que passadas umas horas, poucas, estaria a brindar com alguns dos que lhe telefonaram 😋.
Água límpida e fresca sabe sempre bem...
Nos lavadouros públicos de Malhou
Ainda não era meio dia quando entrámos em Malhou, com 15 km percorridos. Com os 29 km de sábado e a deslocação final aos lavadouros onde mergulhámos os pés e regresso, completaríamos 45 km, o que, embora não tivesse sido programado ... correspondia aos anos de Vida completados pela aniversariante!
Malhou estava em festa. Desde uma corrida de carrinhos de rolamentos aos petiscos no largo central, tudo bolia. E que dizer de um grupo de jovens que, quando chegámos aos lavadouros, nos foram buscar uma minizinha para cada um? A simpatia e os gestos desinteressados ainda existem neste mundo conturbado. Deixámos-lhes depois paga uma rodada no bar da vila 😉.
Depois ... depois, a Paula tinha combinado com o pai telefonar-lhe para nos ir buscar de regresso a Santarém. Claro que o pai também era cúmplice do que se aproximava, marcado para as três da tarde na "Loja das Tradições". Petiscámos ainda em Malhou, regressámos a Santarém com calma ... e fomos fazendo tempo no Miradouro de S. Bento ... enquanto disfarçadamente eu ia sabendo por telefone e mensagens se os convivas já lá estavam ... incluindo a minha estrelita arraiana, claro 😄.
Santarém, 15h15, à entrada da "Loja das Tradições". "Paula, vamos beber um copo para brindar e celebrar?"...
O que se seguiu ... não se descreve. O que se seguiu foi vivido e sentido. Ali, em segundos, foi a explosão da ansiedade acumulada, a expectativa de como é que a Paula ia reagir, a Felicidade de lhe ver a Felicidade e a admiração estampada no rosto! É destes momentos que a Vida é feita ... como ainda há quase 7 anos vivi (vivemos) momentos idênticos para os 60 anos da timoneira da minha Vida.
"É destes gestos que a amizade é feita e em cada momento
se consolida e se fortalece. É nisto que somos grandes.
No querer e no viver.
" (Jorge Salgueiro)
Com o Sr. Francisco Torre, do "Cantinho dos Peregrinos",
na festa surpresa de quem não era fácil surpreender... 😉

 
Um grande bem hajam a todos os que responderam à chamada para este desafio. Um grande obrigado ao Luís e ao Jorge, os outros dois "guarda costas" da Paula neste seu Sonho do Aniversário a caminhar. Um grande obrigado suplementar ao Jorge, principal colaborador da logística que o evento implicou, especialmente na escolha da "Loja das Tradições". Um grande obrigado à Andreia e ao Nuno Graça, seus donos e amigos do Jorge, que reservaram o espaço para este efeito num domingo à tarde, em que supostamente o estabelecimento estava fechado. Um grande obrigado à Sandra Barreiro, grande amiga de longa data da minha mana Paula, que apesar de não poder estar presente fez questão de oferecer o esplêndido bolo de aniversário. Um grande obrigado à Rosa Vaz e à Maria Dias, também impossibilitadas de viver o acontecimento, grandes amigas também de longa data da Paula ... e minhas conselheiras na construção desta "fraga" que me propus galgar.
Um grande obrigado à mãe e ao pai da Paula, ao Sr. Monteiro, aos restantes familiares que também me aconselharam e ajudaram. O mesmo Universo que um dia me ligou à Paula … também fez com que esta surpresa tenha corrido tão bem e com tanta Alegria, Amizade e Felicidade, com a ajuda e protecção de Santiago, neste grande Caminho que é a Vida!
A mensagem em inglês que encontrámos de manhã, algures ao longo dos trilhos ... se calhar não estava ali por acaso ... se calhar era uma antevisão da bênção, da lição e da cura que todos íamos receber.

Everything is a blessing ... Everything is a lesson ... Everything is a healing

À Amizade, ao Amor e à Vida!