quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Falésias, mar, geologia ... de S. Julião ao Magoito

Quase a terminar 2016, a vinda a Lisboa da minha "mana" nortenha foi o mote para, provavelmente, a última caminhada do ano. E como a "mana" Anabela é geóloga ... o "mano" Araújo reservou-lhe uma caminhada geológica, pelas falésias do litoral de Sintra / Ericeira. Pena os outros "manos" que as "aventuras" pedestres trouxeram à minha Vida não tenham podido estar presentes.
Praia de S. Julião, 22.Dez.2016, 9h55
Com um pequeno atraso, pouco antes das dez horas juntávamo-nos assim seis carolas na Praia de S. Julião, na foz da Ribeira do Falcão e ligeiramente a sul da foz do rio Lisandro. Atendendo ao horário das marés, o percurso seria portanto de norte para sul. O segundo dia de inverno esteve um esplêndido dia de sol, excelente para caminhar pelas arribas, praias, calcários, arenitos, basaltos ... e fósseis. E assim foi um esplêndido andarilhar, em permanente sobe e desce, sucedendo-se nomes como a Praia da Vigia, a Ponta dos Ladouros e a foz da Ribeira da Mata, vinda de terras da Assafora e do local onde um dia acampei com a minha "estrela" e outros colegas ... nos "anos revolucionários" de 1975 e 76. Já lá vão ... exactamente 40 anos!

Rumo a sul, em desce e sobe permanente
A já citada Ribeira da Mata precipita-se na praia numa bonita cascata que dá ainda mais vida àquele troço do litoral. E seguiu-se um troço de espectaculares formações rochosas, antecedendo a Praia da Samarra. Com a maré a subir ... chegar à praia pelos rochedos junto ao mar não foi propriamente fácil...

Cascata da Ribeira da Mata
Foz da Ribeira da Samarra e Praia da Samarra à vista
O acesso escolhido à Praia da Samarra, por entre formações rochosas escultóricas ... e a fugir às ondas...
Praia da Samarra
Para sul da Praia da Samarra já estava em terreno que já conhecia. Nomeadamente o local escolhido para o almoço: o cume da Lomba dos Pianos, afloramento basáltico com disjunção prismática, que é um autêntico monumento geológico na costa oeste, com belas panorâmicas do litoral.

A caminho da
Lomba dos Pianos

"Escalada" ao cume da Lomba dos Pianos
e, abaixo, a respectiva panorâmica litoral
Um autêntico monumento geológico!
Sempre para sul ... o nosso "mestre" levou-nos a descer cordas de acesso a pesqueiros escondidos, onde se "pescam" recantos fabulosos de um litoral que, nalguns pontos, lembra a costa ocidental da Irlanda. Entre a Ponta das Ladras e a das Incimas, a Ribeira de Samougueiro precipita-se em cascata sobre a Praia de Gerebele. Topónimos bastante originais, sem dúvida.

Descida "radical", a sul da Lomba dos Pianos
Quando o mar encontra a terra...
Cascata da Ribª de Samougueiro
Ao longo da costa a norte do Magoito ... ou estaríamos na Irlanda?...
Na Ponta das Incinas, ainda a norte do Magoito, a Natureza mostra-nos mais uma lição de Geologia, nos arenitos escultóricos que enfeitam mais aquele troço de litoral. E antes das quatro da tarde estávamos na praia do Magoito ... mas a jornada ainda prosseguiria um pouco mais a sul.

Dunas fossilizadas a
norte do Magoito ...
A Natureza é escultora de Arte
Praia do Magoito, 15h55
Agora ao longo da praia, continuámos jornada até à Aguda, saboreando o vaivém das ondas a beijar a areia e as rochas, cobertas de pequenos mexilhões e de vestígios fósseis ... e brincando com a espuma do mar, a lembrar flocos de neve doce e esvoaçante. A Praia da Aguda seria o limite sul desta bela descoberta do litoral de Sintra / Ericeira. Subindo a escadaria de acesso à arriba, regressámos ao Magoito agora sobre a praia, à medida que o Sol se preparava para mergulhar no mar.

Ao longo da Praia da Aguda, brincando com a espuma
E ... regressamos às arribas ...
O pôr do Sol é sempre um espectáculo glorioso; desta vez fomos até "abençoados" por uma enigmática "Cruz" nos céus, ao lado do disco solar. Com um pouco de imaginação ... seria a Cruz de Santiago?...

Pôr do Sol nas arribas, entre a Aguda e Magoito. À direita do Sol ... a Cruz de Santiago...
Cinco e vinte ... e brindámos à Amizade, à época Natalícia, à Natureza, na praia do Magoito. Os seis no único carro que ali deixáramos, regressámos a S. Julião ... e despedimo-nos até à próxima, para a maioria provavelmente até para o ano.
(Foto original: Rui Castro)

2 comentários:

Luís Vendeirinho disse...

Boas Festas e um 2017 excelente...

Raul Branco disse...

Tudo belo!
Excelente reportagem!

Obrigado Callixto.