terça-feira, 30 de julho de 2013

No Parque Ribeirinho da Póvoa de Santa Iria

Por iniciativa de grande amiga de longa data, criada na ribeirinha Póvoa de Santa Iria, uma mini caminhada levou-nos a conhecer, com dois casais amigos, o novel "Parque Linear Ribeirinho Estuário do Tejo", bela iniciativa da Câmara de Vila Franca de Xira, enquadrada na requalificação dos espaços marginais daquele Concelho.
Para além dos passeios pedonais, que se pretende que venham a interligar-se aos já existentes a sul e a norte, o Parque Ribeirinho da Póvoa engloba diversos equipamentos e espaços que permitem desfrutar do ar livre e das paisagens ribeirinhas, bem como conhecer a história e os vestígios das populações que por aqui passaram, deixando o seu testemunho, quer seja na evocação de actividades como a extracção do sal, o transporte fluvial, a industrialização da frente ribeirinha, ou na referência às actividades piscatórias exercidas pela comunidade avieira local, para a qual foram criadas novas e bonitas cabanas de madeira, perfeitamente integradas no conjunto.

Passeio pedonal da "praia dos pescadores" para norte, 30.07.2013
Patos junto ao passeio pedonal e flamingos no Mouchão da Póvoa
Para norte, os passadiços levam ao Forte da Casa e projecta-se que venham a ligar-se a Alverca e ao já existente passeio pedonal de Alhandra a Vila Franca de Xira. Para sul, estende-se um belo parque com ginásio ao ar livre, campos relvados e plátanos a crescerem, até à aldeia avieira onde se localiza o núcleo museológico "A Póvoa e o Rio", que vem materializar memórias desta ligação com as populações.

Cais avieiro da Póvoa
Junto ao núcleo museológico e à renovada aldeia avieira (mas à vista das antigas construções palafíticas), sentimo-nos um pouco personagens dos "Avieiros", de Alves Redol. A vida quotidiana daqueles "nómadas do rio" girava em torno do rio-vida, a que estavam sujeitos de forma irremediável, arrastando-os no seu infortúnio e exaltando-os na sua bem-aventurança.
"O Tejo, terrível e generoso, é o responsável pelas suas alegrias, pela sua recompensa diária e pela sua riqueza, mas também pelo seu infortúnio e pobreza. Considerado um autêntico tratado sobre a lírica do rio e seus arredores, Avieiros fala-nos de um passado não tão remoto, contudo impossível de recuperar." (do prefácio da edição de 2004, Mediasat)
A vida quotidiana daqueles "nómadas do rio" girava em torno do rio-vida
Em dia de semana, o novo parque da Póvoa de Santa Iria estava repleto de gente. A pé, de bicicleta, utilizando o equipamento de ginástica, a adesão da população ao novo espaço ribeirinho foi pelos vistos bem grande. Pena é que o núcleo museológico feche tão cedo; seria preferível mantê-lo encerrado às horas de menor afluência e abrir ao público no fim de tarde, quando os visitantes estarão mais disponíveis. Não fizemos, evidentemente, nenhuma grande caminhada - até porque estes meus grandes amigos de longa data não se deixaram cativar pelo pedestrianismo... J - mas para os dois lados do parque ainda percorremos um pouco mais de 5km.
O município de Vila Franca de Xira e a freguesia da Póvoa estão sem dúvida de parabéns.

Parque ribeirinho da Póvoa de Santa Iria

4 comentários:

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Excelente divulgação. Fui para lá correr hoje e gostei imenso. Estão de parabéns sim senhor! Aproveitar o que temos, e temos tanto!

António Castela disse...

Gostei! Muito! Obrigado.

Nelson Santos disse...

boa tarde, estive lá ontem a fazer uma caminhada de quase 2 horas, e vai começar a ser o meu local de treinos, muito bom!!! recomendo

Antonio Camara disse...

Pedalando a partir de Lisboa,"perdi-me" neste sitio. Perdi_me e encontrei um belo "achado". Um belo exemplo de investimento sustentável que deveria fazer escola a muito autarca.parabéns ao município.