segunda-feira, 2 de junho de 2014

Do maciço das Ubiñas aos Valles del oso

   "La llegada'l ñuberu", Xuacu Amieva, "Tiempu de mitos"

Lembro-me como se fosse hoje daquele dia 4 de Agosto de 1997, em que conheci Somiedo.
Vale de San Emiliano, Babia, 31.Maio.2014
Desde então, quase todos os anos tenho palmilhado aquelas montanhas, os valles del oso, as terras mágicas de Quirós, o maciço das Ubiñas... Quase todos os anos tenho trazido a estas terras os bons amigos com que a vida me presenteou, desde os que vêm da noite dos tempos aos que, nos últimos anos, saíram dos trilhos da net e da paixão comum pelas vivências e experiências de montanha. De entre estes, já levei por duas vezes os adeptos dos percursos longos e de alguma dureza (as GRDsgrandes rotas duras) às terras raianas do Côa, da Malcata, das Mesas e da Gata. Por outras duas vezes, conduzi-os nas terras mágicas do Gerês. Faltavam ... as terras mágicas de Somiedo e das montanhas astur-leonesas! E assim, no último dia de Maio, pela velha conhecida auto-estrada A66 e a bela zona do Rio Luna e do vale de San Emiliano, subimos ao Puerto Ventana ... e entrámos no paraíso...

Puerto Ventana (1586m. alt.): ventana de Asturias ... ventana del paraíso ... com o maciço das Ubiñas ao fundo
Puertos de Agüeria
O dia 1 de Junho foi também o primeiro desta grande rota asturiana. Para "cartão de visita", levei o grupo aos Puertos de Agüeria ... o percurso onde em 2007 os então nossos guias se perderam...J. Às onze da manhã estávamos a iniciar, na pequena aldeia quirosana de Lindes, a nossa primeira caminhada.

Partida para a primeira jornada no paraíso: Lindes, concelho de Quirós ... nos confins do sudoeste de Astúrias
Na fase inicial, a subir a bom subir, em direcção SO, dirigimo-nos a Las Escolmenas, sempre através de frondoso bosque ... onde abunda também bastante lama, que nos faz "dançar" a todo o momento. E dos 860 metros de altitude de Lindes, atingimos os 1266 na cumeada de El Col.leu, para depois descermos para o desfiladeiro do Rio de la Foz Grande, de frias e turbulentas águas à beira das quais almoçámos.

Através do denso bosque de Lindes a Las Escolmenas e a Col.leu
Rio de la Foz Grande
O rio de la Foz Grande corre para leste, ao longo de um desfiladeiro apertado entre as alturas de Peña Rueda e Peña Arpín. Como em tantos outros sítios ... sentimo-nos pequenos ante a imponência das paredes rochosas e do correr das águas turbulentas. E já aos 1400 metros de altitude, entrámos na zona de prados que dão o nome ao percurso, os Puertos de Agüeria.

Por entre o azevinho ... e as altas paredes rochosas
Subindo o Rio de la Foz Grande e entrada nos Puertos de Agüeria
Atravessar os Puertos de Agueria ... é atravessar o paraíso...! O verde das pastagens de altitude, as paredes rochosas dos picos Fariñentu, Peña Arpín, Peña Rueda, o maciço das Ubiñas nevado, prolongando-se para norte pelos Huertos del Diablo, os abrigos de pastores de La Cardosina, as grandes manchas de azevinho ... tudo nos transporta ali em sonhos para um mundo longínquo, um mundo longe dos bulícios ... um mundo natural e belo ... onde apetecia ficar eternamente.

La Cardosina
Cordal de Lingleo
(1622m alt.)
A partir do Cordal de Lingleo, descemos para noroeste, acompanhando os Huertos del Diablo e o vale do reguero de Llama Salgá. Por entre azevinhos e faias, fomos descendo à Majada de Las Infiestas. Não estávamos longe de Puerto Ventana, por onde na véspera entrámos nestas terras mágicas e para onde segue o estradão para o qual, vindo de Ricabo, o trilho nos levou.

Descida do Cordal de Lingleo para Bueida Ricabo, ao longo dos Huertos del Diablo e do vale de Llama Salgá
Pouco passava das quatro da tarde, entrámos no estradão proveniente do Puerto Ventana e da Ermida de Nª Srª de Trobaniello. Restava descer às pequenas aldeias "perdidas" de Bueida e Ricabo, terminando nesta última a primeira incursão pelo paraíso asturiano.

Descida para Bueida Ricabo
No dia seguinte ... teríamos uma "caminhada" ciclista...J
Ver álbum completo
 
 
 
   


Senda del Oso
Com uma primeira "base" em Proaza, em pleno vale do Trubia, a "aventura" asturiana prosseguiu com a mítica Senda del Oso, o percurso ciclista ao longo do caminho da velha linha férrea mineira que percorria o vale do Trubia.
Esta linha férrea funcionou até 1963, para o transporte do minério de ferro e carvão por parte da Companhia de Minas e Fundições de Quirós e, mais tarde, da Fábrica de Mieres, em 1888. Desactivada e transformada em ciclovia, a Senda del Oso liga Santa Marina de Quirós e as antigas minas de Teverga a Trubia, chegando hoje mesmo à capital asturiana, Oviedo.

E em Santa Marina de Quirós ia começar uma "aventura" sobre rodas - 2.Junho.2014, 11:50h
Maioritariamente descendente, a "aventura" proporcionou um dia de convívio e diversão, ao longo das belas paisagens do Trubia, da barragem de Valdemurio, ou do desfiladeiro de Peñas Juntas.

Pedalando na Senda
del Oso
Barragem de Valdemurio
Desfiladeiro de Peñas Juntas
Rio Trubia
Proaza, da Senda del Oso
Próximo de Proaza situa-se o cercado das ursas Paca e Tola, na encosta e na base do Monte Fernanchín. Com a provecta idade de 25 anos, Paca e Tola ficaram orfãs pela morte da mãe por caçadores furtivos, tendo crescido naquele recinto construído para elas e às quais mais tarde se juntou Furaco, um macho proveniente do parque de Cabárceno, na Cantábria. A população de ursos pardos tem felizmente aumentado nas montanhas e nos vales asturianos ... mas não tivemos a felicidade de ver nenhum, a não ser as famosas Paca, Tola e Furaco.

Paca e Tola, no cercado da
Fundação Oso Pardo, Proaza
Continuando a pedalar, atravessámos de novo o Trubia em Villanueva, para darmos a jornada por terminada junto à estátua do urso cantábrico, na área recreativa de Tuñón. Completámos até ali 25 km, regressando depois à nossa "base" em Proaza e acrescentando mais 6 km à "pedaleira".

Ponte medieval de Villanueva, sobre o Trubia
O grupo ciclista junto à estátua do urso pardo, em Tuñón
E à noite, nas instalações do Albergue El Sabil ... o dia seria ainda complementado com uma sessão de folk asturiano e não só, dando assim também "sabor sonoro" ao último dos dias nos valles del oso. No dia seguinte ... íamos entrar em Somiedo.
Senda del Oso
(álbum completo)
   

E a noite terminou ao som da gaita. Amanhã ... seria outro dia!

4 comentários:

Lena disse...

Foi um privilégio ser apresentada a este paraíso por alguém que o conhece tão bem! Muito obrigada Callixto. A aguardar os dias seguintes :)

Artur Miguel disse...

Foi uma semana fantastica, num local que nos faz sentir pequeninos perante tamanha beleza. Obrigado Callixto, obrigado a todos os outros companheiros

joaquim Gomes disse...

Foram dias fantásticos na companhia de verdadeiros amigos.....por locais de uma beleza ímpar....um verdadeiro hino aos nossos sentidos....um bem haja ao grande amigo José Carlos Callisto pelo enorme trabalho na organização deste evento que esteve sem falhas....um grande abraço de gratidão.

natalia bispo disse...

Um bem~hajas também ao amigo José Carlos Calixto por nos dar imagens de verdadeira beleza. Não caminhámos mas vemos!!