domingo, 1 de março de 2020

De Vilar de Amargo a Barca d'Alva, nos trilhos do jornaleiro

Marcha das Amendoeiras, com o Clube de Montanhismo da Guarda

"Aproxima-se a primavera, com ela o florir das amendoeiras e como habitualmente a nossa caminhada das “Amendoeiras em Flor”". Rezava assim a apresentação à "Marcha das Amendoeiras" do Clube de Montanhismo da Guarda.
Sócio do CMG há pelo menos 8 anos e a representar o Clube nos últimos três anos na Marcha de Montanha da FPME, não tinha contudo ainda tido a oportunidade de participar numa actividade deste grupo pioneiro do montanhismo e pedestrianismo em Portugal. O CMG comemora 39 anos de actividades no final deste mês de Março.
A "Marcha das Amendoeiras" coincidiu, desta vez, com uma das periódicas estadias em Vale de Espinho ... pelo que minutos antes das sete da manhã estava na Guarda, a conhecer finalmente a sede do Clube de Montanhismo ... e a entregar finalmente os três troféus, das três participações na Marcha de Montanha em nome do CMG (2018, 19 e 20).
A sede do Clube situa-se no Largo do Torreão, de onde se contempla uma bela panorâmica para norte e nascente. A previsão meteorológica não era das melhores, mas o local permitiu-me contemplar um espectacular nascer do Sol, como que a prometer furar as muitas nuvens ... e espantar o vento que zunia furiosamente e quase empurrava tudo e todos.
Guarda, 01.Março.2020, 7h05 - O Sol acabou de nascer, para o dia em que conheci o Clube de Montanhismo da Guarda
Na sede do CMG, Guarda
As primeiras impressões sobre o Clube não poderiam ser melhores. O companheiro Ermesendo fez questão de me fazer uma visita guiada às instalações, nas quais se respira a história do mesmo e a paixão pela causa que o move. Entretanto foram chegando outros membros da Direcção, sócios e amigos ... que totalizariam mais de 60 participantes nesta que viria a ser também uma bela jornada de convívio. A previsão de chuva não assustou os inscritos ... e pouca se concretizou.
Vilar de Amargo, 9h10 - A Presidente da Direcção dá as indicações preliminares ... com a ajuda do mais jovem participante
E em Vilar de Amargo ... a primeira amendoeira
Ia começar a Marcha rumo ao Douro
Monumento ao jornaleiro, à saída de Vilar de Amargo
A caminhada iniciou-se em Vilar de Amargo, no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo. À saída da aldeia, um monumento em pedra eterniza a vida dura dos "jornaleiros", ou seja dos aldeãos que atravessavam os caos graníticos que caracterizam o planalto, para irem trabalhar "à jorna" nas quintas localizadas nas terras mais brandas e produtivas do vale do Douro. A Natureza selvagem surgiria ao longo do percurso, em comunhão perfeita com áreas cultivadas, onde os pombais tradicionais são a marca de uma história mais recente e onde o olival, o amendoal e a vinha se traduzem numa paisagem harmoniosa e se revelam nos diversos produtos típicos da região.

Entre Vilar de Amargo e a Ribeira de Aguiar
Cruzada a Ribeira de Aguiar, a caminhada prossegue
para norte (Foto da direita: João Gonçalves)
Quinta de Boais, 10h55 - entre a ribeira de Aguiar e o início da descida para o vale do Douro
Na Quinta de Boais estávamos sensivelmente a meio do percurso. Eram 11 horas e ali era o local previsto para uma pausa e um reforço alimentar. Apesar do trajecto fácil, o jeep do Clube estava próximo, para o que fosse necessário. Mas a caminhada estava a decorrer ao bom ritmo de 5,4 km/h de média em movimento, o que é excelente para um grupo tão grande. E grande era também ... o convívio, as brincadeiras e a amizade que se sentia no ar. Só conhecia pessoalmente dois elementos do grupo, mas rapidamente me senti integrado e acarinhado. Nesta pausa, aliás, o companheiro Ermesendo fez questão de me apresentar à Presidente da Direcção do Clube, a companheira Deolinda Pina.
Uma pausa junto à Quinta de Boais:
o convívio e a amizade andam no ar...
Pelas onze e meia o vale do Douro começa a perceber-se no horizonte. À medida que descemos a temperatura aumenta; a pouca chuva que tinha salpicado o trajecto já estava para trás. A Primavera antecipada antecipou também as culturas ... mas finalmente surgem-nos as amendoeiras em flor.

Começa-se a perceber ao fundo o vale do Douro: as zonas mais áridas do planalto dão lugar às áreas cultivadas ...
... e às amendoeiras
floridas
Antes do meio dia e meia hora estávamos à vista do Douro. As encostas davam lugar aos socalcos ... e à vinha. Por momentos ... pensei que tinha regressado ao Caminho Interior de Santiago...

O Douro surge no vale ... e em menos de meia hora chegamos às imediações de Barca d'Alva
O último troço da marcha, já à beira Douro, acompanhou a extinta linha de comboio internacional, recordando-me a "aventura" da Ruta de los túneles, que percorri com o meu "mano velho" Mousinho ... há já oito anos atrás. E antes da uma da tarde estávamos em Barca d'Alva, avistando a foz do Águeda e terras de Espanha. Tínhamos percorrido 16 km em cerca de três horas e meia.

Barca d'Alva, 12h45: chegámos ao Douro. Ao fundo, à direita, a foz do Águeda
Em Barca d'Alva esperava-nos o autocarro que nos havia deixado em Vilar de Amargo ... mas esperava-nos algo mais. A informação do CMG dizia que "os participantes serão responsáveis pelo seu almoço, devendo fazer-se acompanhar de reforço alimentar para a caminhada" ... mas o que eu não sabia era que faz parte da tradição do Clube a partilha desse almoço e desse reforço.
Limitei-me a levar duas frugais sandes ... que já tinha utilizado quando comecei a ver saírem do autocarro sacos com as mais variadas iguarias, vinhos e petiscos! Mas logo fui posto à vontade e, apesar de não sentir fome ... quase fui obrigado a aceitar diversas daquelas iguarias. Que sucesso teria ali feito, por exemplo ... o "manjar dos deuses" que é o queijinho de cabra de Vale de Espinho 😜
Almoço do CMG, em Barca d'Alva ... ou um banquete dos deuses...


Curiosamente - ou talvez não - no início da caminhada algo me impeliu a fazer vídeo, além das fotografias. Deve ter sido o Universo a dizer-me não só que eu ia adorar a caminhada e o grupo ... como também que o Clube de Montanhismo da Guarda merece bem este meu singelo "presente", que podem ver acima. A minha estreia no Clube não poderia realmente ter sido melhor! Sempre que a proximidade geográfica e a agenda de actividades permitir ... amigos, podem contar comigo!
Ver o álbum completo

1 comentário:

Raul Branco disse...

Como sempre adorei! Não paras, até em tempos de confinamento! Um abraço.