sábado, 9 de novembro de 2019

Nos caminhos da Batalha da Roliça

339ª Actividade dos Caminheiros Gaspar Correia … a segunda caminhada no grupo da minha neta Sofia, depois da estreia na minha velhinha Serra d'Aire.
Columbeira, 9.Nov.2019, 10h00
Foi também a caminhada do magusto caminheiro, em terras do Bombarral … nos caminhos da batalha da Roliça, a primeira vitória aliada na Guerra Peninsular, travada pelas forças anglo-lusas a 17 de Agosto de 1808, contra as tropas Napoleónicas, durante a Iª Invasão Francesa.
Um pequeno percurso circular de 10 km teve por base a aldeia de Columbeira. Pelas 10h00 estávamos a partir em direcção ao, percorrendo depois o vale de Tornada por um bonito trilho em áreas de mata mediterrânica e com passagem por várias pontes pitorescas.

As tropas tinham
começado a batalha...
Ao longo do vale de Tornada, em direcção a sul
Antes da aldeia de Reguengo Grande, cruzámos o topo do planalto até atingirmos o Vale do Rôto, ponto central do itinerário, onde existem várias cavidades geológica e arqueologicamente importantes. Com a chuva miudinha que começava a cair ... uma das cavidades foi o nosso abrigo para o almoço.

Um "restaurante" improvisado, na Lapa Larga, no Vale Rôto
Subindo depois a encosta a nascente, chegámos ao miradouro da Serra do Picoto, palco principal da batalha da Roliça. E o regresso ao local de início foi feito de novo por um belo trilho em mata mediterrânica ... com várias "aventuras" na lama... 😊. Não chegámos a ver o túmulo do Tenente Coronel George Lak, veterano das guerras da Índia e que pereceu na batalha da Roliça.

No miradouro do Picoto, sobre a Columbeira
Descida do Picoto para a Columbeira ... com várias "aventuras" na lama descendente...
E como resultado das "aventuras" ... fazem-se estas figuras... 😊
De regresso à aldeia, seguiu-se o saboroso e divertido magusto, organizado pela Comissão de Melhoramentos da Columbeira. Os caminhos da Roliça marcaram também a estreia da Madalena - a minha panaymi machupiccheña - nas actividades da minha mais antiga "família" caminheira. Entre "manos velhos" e as Amizades e "mano(a)s" dos últimos anos … eu e a minha estrela temos contribuído para injectar sangue novo na alma do GCGC 😊.
Quanto à Sofia … espero bem que seja a minha sucessora na vocação pelas "aventuras" pelas "fragas e pragas" dos grandes espaços naturais...
Ver o álbum completo

sábado, 2 de novembro de 2019

Na III Rota do Contrabando, Fóios - Ellas: festa das castanhas

À semelhança dos anos anteriores, a Junta de Freguesia dos Fóios e o Ayuntamiento das Ellas organizaram a III Rota do Contrabando, uma caminhada transfronteiriça entre aquelas duas aldeias geminadas,
Fóios, 2.Nov.2019, 9h40:
Partida para o "contrabando"
ligadas entre si pelas histórias do contrabando. Na sequência portanto da nossa estadia raiana e sendo desta vez no sentido Fóios - Ellas, maioritariamente descendente (como a minha arraiana prefere), participámos ambos neste dia de intercâmbio e de convívio; no ano passado tinha participado só este peregrino blogueiro 😊.
Centro Cívico da Nascente do Côa, Fóios
Às 9 horas já se concentrava um numeroso grupo de "contrabandistas" na praça principal dos Fóios. O percurso era sensivelmente o mesmo de há um ano, excepto entre o Piçarrão e Valverde del Fresno, em que a organização optou pelo rico vale de Corral Fidalgo, onde proliferam os olivais.

Do Côa ao alto da Serra, no Piçarrão, para descer às terras de Valverde ...  com a Marvana ao fundo
Depois da grande descida do Piçarrão, as Ellas surgem a sudeste, por entre a ramagem
O dia foi alternando entre a chuva miudinha (mas que molha...), o nevoeiro e algum Sol, tímido. Rodeámos a cabeceira de Corral Hidalgo e da ribeira de Mampilero, para cruzarmos a estrada Navasfrias - Valverde e tocarmos ao de leve as ruelas mais a norte de Valverde del Fresno.
Descida para os vales férteis de Corral Fidalgo
Valverde del Fresno, 12h50: faltavam  4 km para o destino final da rota
À semelhança do ano passado nos Fóios, no final da caminhada estava prometido um almoço nas Ellas. Cruzado o rio Erjas (que a sul será o nosso Erges), faltava subir a empinada ladeira que antecede aquele bonito pueblo blanco, alcandorado na vertente poente da Sierra de Gata, rumo ao Castillo e ao monumento ao contrabandista, com 17 km percorridos.

Rio Castaño, entre Valverde del Fresno e as Ellas
Rumo às Ellas, cruzando o rio Erjas
E chegada ao Monumento ao contrabandista, junto ao Castillo das Ellas, com 17 km percorridos
A bela panorâmica das Ellas para a planície do Xálima, com Valverde e a Serra da Marvana em pano de fundo
Como prometido, à caminhada seguiu-se um saboroso almoço ... e à tarde havia a tradicional festa das Borrallás, o magusto raiano, extraordinariamente animado por grupos musicais e etnográficos dos dois lados da raia ... e este ano com uma particularidade que não quero deixar de assinalar. A actual Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, eleita pelo distrito da Guarda, havia prometido participar neste tradicional intercâmbio entre as aldeias geminadas dos Fóios e Ellas; e como o prometeu ... cumpriu! Mas qual a particularidade a que me referi? É que ... o autor destas linhas e a minha pequena arraiana ... conhecemos a Senhora Ministra desde os seus 10 anos 😊
Nas Ellas, a Plaza da Constitución encheu-se de gente para os festejos e para receber as auturidais de ambos os lados da raia
... entre as quais a Ministra Ana Godinho ... que
conhecemos desde os seus 10 anos de idade 😉
Moldura humana na Plaza da Constitución,
para a Borrallás (foram assados 300kg de castanhas)
(Clicar na foto para ver o álbum completo)