quinta-feira, 13 de junho de 2019

De Cascais a Lisboa ... e à Bobadela (em noite de Santo António)

- 7ª etapa do projecto CostaPé 2019 -

Pedro Pimenta é um nome bem conhecido no meio pedestrianista português. Depois de largos
anos a dinamizar o CLAC - Clube de Lazer, Aventura e Competição - e de ter incentivado e envolvido milhares de pessoas a fazerem da caminhada um hábito, Pedro Pimenta lançou um projecto pessoal, o CAMINHOS - EstacaZero, projecto que identifica como um movimento e um estado de espírito ... e é nesse movimento que deu início, em Janeiro passado, a um ambicioso projecto: percorrer e mapear para percurso pedestre a totalidade da costa portuguesa. Entre Monção e Vila Real de Santo António, em etapas realizadas em fins de semana e/ou feriados, o projecto CostaPé 2019 estima percorrer mais de 970 km de uma das mais bonitas costas marítimas europeias, com uma diversidade geográfica e paisagística ímpar. Ora, no passado fim de semana prolongado, o CostaPé 2019 chegou a Cascais. Para cada etapa, o Pedro convida quem quiser a juntar-se ao projecto. A agenda não deu para outras ... mas na noite de Santo António proporcionou-se que pudéssemos acompanhar - eu e o meu "mano" Zé Manel Messias - a 7ª etapa daquela "aventura", entre Cascais e Lisboa.
À partida de Cascais, 12.Junho.2019, 23h00 (Foto: Pedro Pimenta)
Às onze da noite estávamos assim a partir da baía de Cascais; éramos 5, para esta etapa nocturna do CostaPé 2019. Noite limpa, de início com um vento que fazia prever algum desconforto térmico, mas que amenizou à medida que progredíamos. O percurso foi, em sentido inverso, o que fiz em solitário há menos de 3 anos ... quando me lancei num certo desafio k100 non stop...

As horas passam ... a Lua avança para poente ... enquanto nós vamos ao encontro do amanhecer
Estoril, Parede, Carcavelos, Oeiras, Paço de Arcos, as fortificações que o meu Tio Carlos descrevia, o Farol da Gibalta, sucediam-se ao longo da nossa marcha. Tudo bastante deserto ... as farras hoje eram em Lisboa. Excepcionalmente, hoje havia comboios toda a noite; víamo-los passar vazios para Lisboa ... e regressar apinhados de gente, vinda dos arraiais e da sardinha assada.
Às quatro da manhã estávamos na Torre de Belém ... que não tem direito a uma merecida iluminação.
Torre de Belém e o Padrão dos Descobrimentos, na madrugada de Santo António  (Foto superior direita: Pedro Pimenta)
Lá ao fundo, de onde o Tejo traz as águas, pelas cinco da manhã o céu começou a clarear. Aproximávamo-nos da velha Ponte 25 de Abril, que igualmente passou a noite sem iluminação. Uma hora depois estávamos no Cais do Sodré, já com o Sol a despontar; com 30 km percorridos, a sétima etapa do CostaPé 2019 estava completada ... com a foto d'"os 5 magníficos" a oficializar o facto.

Cais do Sodré, 13.Junho.2019, 6h00, 30 km percorridos ...
e o Costapé chegou a Lisboa  (Fotos de baixo: Pedro Pimenta)
Já só faltava ... regressar a casa e pôr os sonos em dia. O Zé Manel, a Sónia e o Joaquim ficaram-se pelo Cais do Sodré; também lá, o Pedro ia para o metro. E eu ... apetecia-me acompanhar a elevação do astro rei, que ainda nem tinha propriamente nascido. E se regressasse a casa ... também a pé? Da ideia à acção mediaram poucos segundos ... e em menos de três horas percorri os restantes 16 km até à Bobadela; pela enésima vez ... estava no Caminho de Santiago e de Fátima, o Caminho do Tejo.

Do Cais das Colunas (6h15) ao Parque das Nações (7h35) e ao Trancão (8h25) ... a caminho de casa
Antes das nove da manhã estava em casa, com 46 km percorridos. Foi ... uma noite de Santo António diferente. Obrigado, companheiros! Já não falta tudo para Vila Real de Santo António...

1 comentário:

Raul Branco disse...

Uma importante iniciativa, maravilhosamente descrita!