sábado, 14 de abril de 2018

De regresso aos Caminhos de Fátima

Dos Olhos de Água a Minde, com os Caminheiros Gaspar Correia

Em jornada non stop ou por etapas, a partir da grande Lisboa, de Santarém ou de perto da Malveira ... já perdi a conta às vezes que passei pelas nascentes do Alviela nos Caminhos de Fátima.
Praia fluvial dos Olhos de Água, 14.Abril.2018, 9h30
Contudo, nunca tinha levado os "gasparitos" - os "meus" Caminheiros Gaspar Correia - àqueles trilhos. A proposta surgiu no calendário deste ano ... e assim foi, hoje. O percurso, entre os Olhos de Água e Minde, corresponde sensivelmente a metade daquela que se considera normalmente a quinta e última etapa do "Caminho do Tejo". Mas, evidentemente, as etapas dependem da capacidade e da vontade de cada um. Esta foi uma caminhada ... à medida dos "gasparitos" 😊

Entre as nascentes do Alviela e a aldeia de Monsanto
O principal objectivo era o de mostrar que o verdadeiro Caminho se faz pelos campos, por trilhos ancestrais, caminhos rurais e veredas, atravessando planícies e serras, e não como infelizmente a maioria dos Peregrinos, utilizando as estradas nas suas peregrinações. Muitos desconhecem até que os Caminhos de Fátima estão muito bem assinalados. Alguns grupos e associações religiosas são infelizmente responsáveis por aquela opção, com a justificação de ser mais perto, quando na realidade a diferença é mínima. Como sempre tenho dito, pela estrada a entrega à Natureza e ao Caminho não pode ser a mesma, qualquer que seja a mística que nos leva a percorrê-lo.
O percurso já o descrevi portanto sobejamente nas "páginas" deste blogue. Depois de semanas e dias de chuva, S. Pedro deu-nos um sábado de Sol e até algum calor. O Alviela rebentava pelas costuras! E por volta das dez horas mais de 50 caminheiros estavam a partir daquele cantinho que conheço há quase meio século ... nos Caminhos de Fátima e de Santiago.

Peregrinando pelos campos, entre Monsanto e o Covão do Feto
Entre Monsanto e o Covão do Feto optei pelo trilho que percorri com a minha "Mana" Paula no verão do ano passado, por forma a fugir ainda mais ao alcatrão. E a paragem para almoço foi no Covão do Feto ... para ganhar forças para a encosta que a separa de Minde. Aos menos habituados a desníveis acentuados foi-lhes dada a hipótese de neutralizarem ali, sendo portanto "teletransportados" para o espectacular "miradouro" sobre Minde e o seu polje. Não deixei de lhes dizer, claro, que quando em Outubro passado comecei aquela subida ... já levava mais de 100 km nos pés... 😟!


Subida para o "miradouro" sobre Minde e o polje
Panorâmica do alto sobre o polje de Minde

E a uma subida ... segue-se uma descida...
Estamos nos Caminhos de Fátima ... e de Santiago
Em Minde, fomos ver as margens daquele famoso "mar", o polje de Minde, e terminámos a caminhada junto ao Mercado. Dali a Fátima ... seria outra etapa, para os pés dos "gasparitos" que hoje peregrinaram dos Olhos de Água a Minde.

E às quatro horas estávamos em Minde e à beira do seu "mar"
Ver o álbum completo

1 comentário:

Raul Branco disse...

Excelente reportagem, como é habitual!